sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Espiritualidade do Advento

- Vejamos algumas das principais dimensões que nos coloca uma real vivência do Advento:
Tempo do Deus da libertação: A liturgia do Advento por meio dos textos do profeta Isaías nos apresenta o Deus que aterra os vales, aplaina as montanhas, faz com que o deserto floresça, coloca juntos o leão e o cordeiro. É o Deus do impossível, que vem para proteger os pobres e dissipar as trevas por meio da sua Luz. (cf. Is 9, 1-6; 40, 1-30; 45, 7-8)
Tempo de expectativa vigilante e alegre: Em toda a liturgia do Advento ressoam as promessas de Deus que foram cumpridas em Jesus Cristo. Porém, no fim dos tempos, irá se realizar em definitivo a história das “promessas de Deus” e aparecerá o objeto de todas essas promessas, isto é, o próprio Deus, visto e contemplado em toda a riqueza da sua graça. É a expectativa gerada no Advento e que nos conduz a um estado de vigilância e de preparação para esse grande momento.
A expectativa vigilante é sempre acompanhada da alegria. Por isso podemos afirmar que o Advento é tempo de expectativa jubilosa porque aquilo que se espera certamente acontecerá. Deus é sempre fiel.
Internet
Tempo de esperança: São Paulo nos mostra que o Deus da revelação de Jesus Cristo é o “Deus da esperança”(Rm 15,13). Por isso toda a Igreja vive dessa grande esperança, e nela nos mergulha no Advento. O povo de Israel esperou o cumprimento das promessas de Deus e a Igreja vive delas. A esperança da Igreja é a mesma do povo de Israel, mas já realizada em Cristo. A Igreja vive, na esperança, a sua existência como graça de Cristo para todos os homens. E pelo mistério do Advento, essa mesma Igreja é chamada a tornar-se sinal concreto de libertação integral do homem.
O Advento é o tempo litúrgico da grande educação à esperança: uma esperança que se torna, pela graça de Deus, forte e paciente; que aceita a hora da provação e da perseguição; enfim, uma esperança confiante.
Tempo de conversão: A experiência nos mostra que não existe possibilidade de esperança e de alegria sem retornar ao Senhor de todo o coração, na expectativa da sua volta. Para isso, precisamos converter radicalmente os nossos corações ao Senhor com a real disposição de deixar o que é velho em nós e assumirmos o novo em nossas vidas.
Coragem! O Advento é o tempo propício de conversão aos duros de coração.
Dimensão histórica da salvação: Deus se fez homem e veio habitar no meio de nós. O Deus eterno quis entrar no tempo e viver a nossa história. Ele é o “Deus-conosco” que salvou a humanidade inteira. E no Advento recordamos essa dimensão histórica da salvação, realizada em Jesus Cristo, que nos conduziu a plenitude dos tempos (cf. Gl 4,4).
Dimensão escatológica do mistério cristão: O Senhor Deus se manifesta em sua Palavra como “Aquele que é, que era e que vem”(Ap 1,4-8; Ex 3,13-14). Por isso, o Advento, com a sua liturgia própria, nos ajuda a ver a história como lugar do agir das promessas de Deus e nos direciona para o seu cumprimento no “Dia do Senhor”.
Dimensão missionária: No Advento, toda a Igreja contempla o Pai que envia seu Filho para salvar os homens por meio da ação (envio) do Espírito Santo. Por isso o Advento de Cristo na Igreja e por meio da Igreja atua-se mediante a missão. Esse Tempo litúrgico é assim, por sua própria natureza, o tempo do aprofundamento do significado autêntico da missão.
A Igreja não vive para si, mas para o mundo. Cada cristão participa dessa missão de proclamar a vinda do Senhor e de esperá-la com uma alegre expectativa. Isso é essencial na vida cristã. E o mistério do Advento nos insere nessa missão.
Enfim, ao contemplarmos e vivermos a espiritualidade do Advento, percebemos duas grandes dimensões: a escatológica (aprofundada até o dia 16 de dezembro) e a natalina (aprofundada do dia 17 a 24 de dezembro).
 
FONTE: Site Shalom

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Confio em Ti

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Família Paulina promove encontro para jovens em SP

No dia 25 de novembro de 2012, as Congregações da Família Paulina promoveram um dia de encontro para Jovens na FAPCOM (Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação) localizada em São Paulo-SP.
O encontro teve início às 9h com a missa, presidida por D. Tarcísio Scaramuzza e depois padres concelebrantes. Após a missa seguiu-se com uma programação especial que contemplou Shows, Oficinas, Adoração Eucarística, Teatro, etc.
Agradecemos ao Mestre que nos concedeu esta bela oportunidade de reunir jovens nesta grande metrópole, a fim de tornar o carisma paulino cada vez mais conhecido.
 
Missa

Grupo Chamas

Emerson jean
Via 33

Ir. Mírian Kolling
 
Cantores de Deus
Feira vocacional
Jovens da Paróquia São Mateus

Família Paulina

Oficina da JMJ
Oficina Vocacional
Oficina de Redes Sociais
Teatro da Comunidade Shalom
Oficina de Leitura Orante

O sentido das coisas

Uma antiga fonte, nobre e solitária: não há mais algazarra de meninos, o ir e vir das mulheres, o burburinho da água; resta um tanque vazio... Uma obra humana que perdeu o sentido da própria origem. 

 
Como um velho castelo, com rachaduras, habitado por heras e arbustos, marcado pelo abandono dos homens e dos reis... Uma obra humana que perdeu o sentido de sua existência .

O sentido das coisas, uma força secreta, a alma de uma obra, o seu espírito.
Perdê-lo significa perder aquilo que lhe deu origem e sustentava sua vida.
O sentido das coisas é o milagre de uma nascente subterrânea , que faz surgir, numa paisagem imensa de areia e de céu, uma realidade viva: a surpresa de um oásis.

Porque, como Deus se revela, tornando-se humano, o sentido existe tornando-se matéria.
O sentido toma o corpo, o espírito se faz letra: entrelaçando-se, tornam-se gesto, obra ou texto, num mundo concreto de seres humanos e de coisas.
Mas o corpo e a letra, anifestando o seu sentido, ao mesmo tempo escondem-no...

Não serão, na realidade, os ídolos que encerram o espírito e o seu mistério, podem apenas sugeri-los: na parábola do que há de vir, amanhã talvez seja uma casa, que não viverá senão por sua própria solidão.

O significado nas coisas é como um relacionamento de hospitalidade: entendimento recíproco que surge discreto e provisório.
Um hóspede não poderá ficar para sempre, mas simplesmente fruir o acolhimento de hoje.

A hospitalidade é, de fato, o prazer de conhecer outras pessoas, de falar de si de outras formas...
E na procura do sentido das coisas, o seu encontro lhe mostrará uma outra dimensão, porque se uma obra é uma expressão necessária, cujo sentido será seu respirar mais profundo.

Mas, se a obra acreditar-se imortal , esquecerá a intuição que a fez nascer, e que pertence, como o corpo de um ser humano, à história e à contingência das coisas que mudam.
E a letra de visível se tornará invisível, encorajando a olhar o espírito além das aparências: a sua verdade será a sua própria transparência .

O sentido lhe dirá, portanto, o dinamismo que anima o ser humano e as coisas, acompanhando os seres em direção a seu futuro.
Mas o seu encontro não será fruto de seus olhos; será o resultado da abertura atenta e curiosa do coração.

E a grandeza do coração será chamada abertura do espírito ou tolerância.

(Renato Zílio)
 


terça-feira, 27 de novembro de 2012

Doc. 85 CNBB - Evangelização da Juventude



domingo, 25 de novembro de 2012

Características de Pe. Tiago Alberione

 
Veja o que as pessoas no facebook escreveram:
 
Gabrielle Fanticheli Acolhimento com os jovens !
 

Ir Solange Silva A Coragem de enfrentar os desafios que a vida colocava em seua caminho!!!

Patricia Anielly O modo de pensar, enxergava além de seu tempo.

José Carlos De Freitas Júnior Sua ousadia de gerar a Família Paulina e recomeçar sempre da gruta de Belém acreditando sempre no Mestre e Pastor.

Rosangela Fritz da Cunha Eu admiro muito á persistencia e ousadia de Tiago, é graças a ela que nós e muitas outras pessoas podem ter acesso a Palavra de Deus atraves de tantos meios de comunicação.

Sarina Rocha ADMIRO SUAS SÁBIAS FRASES... :D

Irmã Viviani Moura Uma característica que muito admiro no nosso fundador é a sua profunda fé, sua humildade e total confiança em Deus. Soube entregar-se nos braços de Deus, convicto que a obra que estava iniciando não era dele e sim de Deus. Total abandono e docilidade à vontade de Deus. Amo e admiro este grande homem, profeta da comunicação.
 
 Deixe, você também, uma mensagem abaixo!


sábado, 24 de novembro de 2012

"Faça-se Luz"


Neste final de semana, de 15 a 18/11, a comunidade Rainha dos Apóstolos(Postulantado das Irmãs Paulinas) recebeu com alegria quatro jovens: Francisca Daiane Carvalho/Santana do Parnaíba-SP; Lilian Vieira Bresconsin/Campinas-SP; Vanessa dos Santos/São Paulo e Viviane Dias/Várzea Paulista-SP, para mais uma Convivência Vocacional.
 
Esses dias foram vividos com muita intensidade, as jovens viveram momentos de adoração, partilhas das luzes de Deus em suas vidas, momentos de deserto para melhor compreender ação de Deus em suas vidas e também tiveram a oportunidade de conhecer alguns setores de missão da Congregação das Irmãs Paulinas. O encontro teve como tema: “Faça-se luz”, recordando as luzes  na vida e vocação do bem-aventurado Pe Tiago Alberione(nosso fundador).

Agradecemos a participação das jovens que também dão o seu testemunho sobre a Convivência Vocacional:
Da esq. para dir: Daiane, Viviane, Lilian e Vanessa
“Para mim estar aqui na Congregação das Irmãs Paulinas foi uma oportunidade de estar mais perto de Deus e ter um encontro pessoal com Jesus. Agora para mim Paulinas é muito mais que uma marca é um olhar de Deus direcionado para cada pessoa.” (Francisca Daiane)
“É muito bom estar aqui, a cada convivência o Senhor fala de forma diferente ao meu coração, sempre reforçando seu chamado em minha vida.” (Viviane Dias)

“Que Deus me faça ser Sal e Luz para o mundo, assim como Ele me convoca a todos os dias responder Seu chamado e fazer a diferencia.” (Lilian Viera Bresconsin)

“Nesta convivência eu me senti dentro da Família Paulina, eu me senti uma paulina já formada, de tão profundo. Este encontro foi muito profundo para mim, foi um momento forte com muita oração, partilha, novas novidades.” (Vanessa dos S. Almeida)

 

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Cristo vive em mim


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Paulinas na X Bienal Internacional do livro do Ceará


A cidade de Fortaleza, capital cearense, foi o palco de um dos maiores eventos culturais do estado. De 08 a 18 de novembro, no Centro de Eventos do Ceará, aconteceu a X Bienal Internacional do livro do Ceará. Foram 10 dias intensos em que, estima-se, que passaram pelo local mais de 100 mil pessoas. Entre eles, os professores (as) e alunos (as) da rede pública, municipal e estadual, e também das escolas particulares, além de universitários, estudiosos, autores, religiosos e muita gente que curte mergulhar no mundo da cultura e do conhecimento por meio leitura.
Além da venda de livros, nos diversos estandes, a Bienal ofereceu uma vasta programação cultural, com a presença de escritores, artistas e cantores nordestinos e também de outros lugares do Brasil e do mundo. O tema inspirador dessa Bienal era: Padaria Espiritual – O pão do espírito para o mundo. Com o qual homenageou vários autores cearenses, que no final do século XIX, ainda jovens, reuniam-se num café para protestar contra a burguesia, o clero e o tradicionalismo, por meio da literatura. Esses jovens formaram um grêmio literário e, com o anseio de promover a literatura, que andava um tanto esquecida, lhe deram o nome de Padaria Espiritual. Nome que obteve grande sucesso chegando a ter publicações regulares em diversos jornais do estado e também do Brasil.

Entre tantos estandes de editoras, livrarias e distribuidoras de livros, Paulinas marcou sua presença, promovendo a Palavra de Deus e os valores cristãos aos que passaram pela Bienal. Lançou também o livro de dois autores cearenses: Fabiana Guimarães: O Senhor do tempo e outras histórias e Casemiro Medeiros Campos: Gestão Escolar e docência.

O grande público da X Bienal mostrou que o quanto as pessoas valorizam e buscam a cultura e o conhecimento contido nos livros. Agradecemos a Jesus Mestre, o grande editor, escritor e comunicar do Pai, pela palavra impressa que educa, anima, fortalece, ensina e transforma vidas. 

Hino da CF 2013

 

 
1. Sei que perguntas, juventude, de onde veio
Teu belo jeito sempre novo e verdadeiro. Eu fiz brotar em ti desde o materno seio Essa vontade de mudar o mundo inteiro.  
 
Estou aqui, meu Senhor, sou jovem, sou teu povo!
Eu tenho fome de justiça e de amor, Quero ajudar a construir um mundo novo. Estou aqui, meu Senhor, sou jovem, sou teu povo! Para formar a rede da fraternidade, E um novo céu, uma nova terra, a tua vontade. /:Eis-me aqui, envia-me, Senhor!:/
   
2. Levem a todos meu chamado à liberdade Onde a ganância gera irmãos escravizados. Quero a mensagem que humaniza a sociedade Falada às claras, publicada nos telhados.
 
3. Para salvar a quem perdeu a esperança
Serei a força, plena luz a te guiar. Por tua voz eu falarei, tem confiança, Não tenhas medo, novo Reino a chegar!
Letra: Gerson Cesar Souza
Música: Gil Ferreira/ Daniel Victor Santos
 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Noviças em missão II


“A mão do Senhor está sobre mim” 

Eu me chamo Aucilene de Moura Lima, sou noviça paulina, nasci em Serra Talhada – PE e atualmente moro em Belém – PA. Aqui estou vivendo o período de estágio do noviciado numa enriquecedora experiência de fé e vida com este povo alegre, de grande expressão de fé, especialmente pelo amor dedicado a Nossa Senhora de Nazaré e pela confiança no Deus da vida. 

Durante esses três meses tive a oportunidade de conviver com diversas realidades e sentir a mão de Deus conduzindo este povo e a minha resposta ao dom da vocação paulina. Estou vivendo dias de muita graça no encontro com as pessoas através do apostolado na livraria, nas feiras de livros em Belém e Macapá, trabalhos vocacionais, programa de rádio, movimentos pastorais e o Círio de Nazaré. Nessa realidade de missão paulina junto a Igreja pude estar bem próxima das dores e alegrias dessa gente que tem muita sede de Deus.


Experiência Significativa...

Contudo, o que mais me marcou neste período foi poder participar do Círio de Nazaré. Uma experiência marcada pela força da fé e da esperança depositada na interseção da mãe de fé – a Senhora de Nazaré. Um amor filial que faz uma multidão percorrer as ruas de Belém e saudar a mãe de Nazaré, confidenciando-lhe suas dificuldades e agradecendo sua amorosa interseção junto a Jesus seu Filho querido. Uma experiência inesquecível!

Desafios...
Nesta terra de um imenso campo missionário o maior desafio é, sem dúvida, a falta de pessoas para evangelizar.  Aqui entendi o que significa: “a messe é grande, mas os operários são poucos”. Por isso jovem se você deseja dedicar sua vida à serviço do Evangelho, não tenha medo de responder a este chamado de amor e entregar-se ao projeto que Deus tem para você. Venha comunicar Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida na cultura da comunicação.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

MENSAGEM DO PAPA AOS JOVENS

MENSAGEM DO PAPA BENTO XVI
PARA A 28ª JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE
NO RIO DE JANEIRO, EM JULHO DE 2013


Site Acidigital
 
«Ide e fazei discípulos entre as nações!» (cf. Mt 28,19)

Queridos jovens,

Desejo fazer chegar a todos vós minha saudação cheia de alegria e afeto. Tenho a certeza que muitos de vós regressastes a casa da Jornada Mundial da Juventude em Madrid mais «enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé» (cf. Col 2,7). Este ano, inspirados pelo tema: «Alegrai-vos sempre no Senhor» (Fil 4,4) celebramos a alegria de ser cristãos nas várias Dioceses. E agora estamo-nos preparando para a próxima Jornada Mundial, que será celebrada no Rio de Janeiro, Brasil, em julho de 2013.

Desejo, em primeiro lugar, renovar a vós o convite para participardes nesse importante evento. A conhecida estátua do Cristo Redentor, que se eleva sobre àquela bela cidade brasileira, será o símbolo eloquente deste convite: seus braços abertos são o sinal da acolhida que o Senhor reservará a todos quantos vierem até Ele, e o seu coração retrata o imenso amor que Ele tem por cada um e cada uma de vós. Deixai-vos atrair por Ele! Vivei essa experiência de encontro com Cristo, junto com tantos outros jovens que se reunirão no Rio para o próximo encontro mundial! Deixai-vos amar por Ele e sereis as testemunhas de que o mundo precisa.

Convido a vos preparardes para a Jornada Mundial do Rio de Janeiro, meditando desde já sobre o tema do encontro: «Ide e fazei discípulos entre as nações» (cf. Mt 28,19). Trata-se da grande exortação missionária que Cristo deixou para toda a Igreja e que permanece atual ainda hoje, dois mil anos depois. Agora este mandato deve ressoar fortemente em vosso coração. O ano de preparação para o encontro do Rio coincide com o Ano da fé, no início do qual o Sínodo dos Bispos dedicou os seus trabalhos à «nova evangelização para a transmissão da fé cristã». Por isso me alegro que também vós, queridos jovens, sejais envolvidos neste impulso missionário de toda a Igreja: fazer conhecer Cristo é o dom mais precioso que podeis fazer aos outros.

1. Uma chamada urgente
A história mostra-nos muitos jovens que, através do dom generoso de si mesmos, contribuíram grandemente para o Reino de Deus e para o desenvolvimento deste mundo, anunciando o Evangelho. Com grande entusiasmo, levaram a Boa Nova do Amor de Deus manifestado em Cristo, com meios e possibilidades muito inferiores àqueles de que dispomos hoje em dia. Penso, por exemplo, no Beato José de Anchieta, jovem jesuíta espanhol do século XVI, que partiu em missão para o Brasil quando tinha menos de vinte anos e se tornou um grande apóstolo do Novo Mundo. Mas penso também em tantos de vós que se dedicam generosamente à missão da Igreja: disto mesmo tive um testemunho surpreendente na Jornada Mundial de Madri, em particular na reunião com os voluntários.
 
2. Tornai-vos discípulos de Cristo
Esta chamada missionária vos é dirigida também por outro motivo: é necessário para o nosso caminho de fé pessoal. O Beato João Paulo II escrevia: «É dando a fé que ela se fortalece» (Encíclica Redemptoris missio, 2). Ao anunciar o Evangelho, vós mesmos cresceis em um enraizamento cada vez mais profundo em Cristo, vos tornais cristãos maduros. O compromisso missionário é uma dimensão essencial da fé: não se crê verdadeiramente, se não se evangeliza. E o anúncio do Evangelho não pode ser senão consequência da alegria de ter encontrado Cristo e ter descoberto n’Ele a rocha sobre a qual construir a própria existência. Comprometendo-vos no serviço aos demais e no anúncio do Evangelho, a vossa vida, muitas vezes fragmentada entre tantas atividades diversas, encontrará no Senhor a sua unidade; construir-vos-eis também a vós mesmos; crescereis e amadurecereis em humanidade.

Mas, que significa ser missionário? Significa acima de tudo ser discípulo de Cristo e ouvir sem cessar o convite a segui-Lo, o convite a fixar o olhar n’Ele: «Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração» (Mt 11,29). O discípulo, de fato, é uma pessoa que se põe à escuta da Palavra de Jesus (cf. Lc 10,39), a quem reconhece como o Mestre que nos amou até o dom de sua vida. Trata-se, portanto, de cada um de vós deixar-se plasmar diariamente pela Palavra de Deus: ela vos transformará em amigos do Senhor Jesus, capazes de fazer outros jovens entrar nesta mesma amizade com Ele. (Continuar lendo)
 

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Irmãs Paulinas visitam jovens vocacionadas em RO

No dia 15 de Novembro, as Irmãs Mery e Ana Paula, visitaram as jovens vocacionadas Priscila, Renata e Fernanda, em Vilhena – RO, junto aos familiares partilharam de suas vidas e da Vocação Paulina.
 
Da esq. para dir: Ir. Ana Paula, Fernanda e Ir. Mery
Essas jovens foram despertadas no mês de agosto durante o evento do Bote Fé que aconteceu em Vilhena – RO, na ocasião manifestaram o desejo de conhecer melhor a vida religiosa paulina. Desde então, as irmãs vocacionistas de Porto Velho as acompanham por meio de carta, e-mails, telefonemas, etc. Esta visita teve como intuito fortalecer os laços entre a congregação das Irmãs Paulinas, as jovens e suas famílias, também para favorecer o caminho de discernimento vocacional das jovens.
Irmãs Mery e Ana Paula com a jovem Rena e sua família
 “Vivemos em clima de fraternidade, onde podemos conversar com as jovens e seus familiares, os mesmos nos falavam de seus sonhos e gratidão a Deus por suas vidas.

Agradecemos as jovens Priscila, Renata, Fernanda e seus familiares, pela acolhida e por tudo que vivenciamos juntos. Desejamos que encontrem no seio familiar o grande amor que Deus tem por cada uma e a vocação à qual Ele as chama.
Irmãs com Priscila Salla e família
Aos cuidados do Divino Mestre apresentamos essas famílias, seus anseios e suas necessidades, nós as acompanhamos com orações, para que possam descobrir na vocação paulina a realização de suas vidas, em favor de muitos e para glória de Deus.” 

domingo, 18 de novembro de 2012

Espiritualidade do(a) catequista

*A Igreja existe para evangelizar: esta é a graça e a vocação própria. Mas a vocação do catequista, assim como todo ministério, nasce de uma necessidade da comunidade eclesial, a de favorecer a maturidade da fé e o crescimento da Igreja, para que ela possa desempenhar sua missão: “fazer discípulos” (Mt 28,19).
 
A pessoa do catequista
Para que a Igreja tenha condições de cumprir esta missão, ela se empenha na formação e educação da fé dos seus próprios membros. Para isso ela elaborou um “método” chamado catequese para fazer ressoar o primeiro anúncio e habilitar os seus membros, maduros na fé e na adesão a Jesus, para a missão. Este método de educação da fé de crianças, jovens e adultos é desenvolvido de “maneira orgânica e sistemática com o fim de iniciá-los na plenitude da vida cristã”.
Na preocupação de formar os seus catequistas, a Igreja deve ter uma atenção especial à pessoa do catequista: antes de cuidar do fazer do catequista, deve se preocupar com o ser do catequista. Isso porque “o serviço do catequista se fundamenta, antes de tudo, sobre o ‘ser’, porque é em nível do ‘ser’, quer dizer, da pessoa do catequista, que se realiza a primeira e mais importante comunicação catequética”. Assim como “A Igreja faz catequese por aquilo que ela é”, também a comunidade deve se preocupar com o ser, com a pessoa do catequista.
 
A identidade do catequista
Como conclusão, podemos dizer que a pessoa do catequista apresenta os seguintes elementos de sua identidade que brotam da sua vocação de educador dentro da Igreja:
● o catequista é um vocacionado, e sua vocação não é fruto de iniciativa própria, mas sim suscitada por Deus e reconhecida e instituída pela Igreja, que tem a responsabilidade de discernir os carismas;
● o catequista é servidor da Palavra; a ela é subordinado e a ela deve obediência. Falando da vocação e missão do catequista, vimos como São Paulo, em 1Cor 12,28, associa o ministério dos mestres ao dos Apóstolos e Profetas, que são ligados à Palavra, e é por isso que estão em primeiro lugar entre os dons e carismas. Os ministérios ligados à Palavra dentro da Igreja são vários, mas o catequista o exerce de maneira particular, pois ele entra em contato com a vida e a própria pessoa dos destinatários. O catequista nunca poderia formar seguidores autênticos da Palavra, se dela não se alimentasse e a vivesse.
● O catequista é educador, aquele que “conduz” os próprios membros da comunidade, e esta educação diz respeito a todas as dimensões da vida cristã. Ele é que suscita discípulos para Jesus, aquele que conduz pela mão ao encontro de Jesus.
● O catequista é mensageiro de Jesus Cristo e, nesta tarefa, anuncia o mistério pascal de proclamar aos irmãos que Jesus é o Salvador, e educa a encontrá-lo e a vivê-lo em cada situação da vida.

 
Tudo isso exige do catequista uma atenção toda especial a sua vida espiritual; ele deve ter:
● um cuidado amoroso com sua vida interior;
● uma escuta perseverante da Palavra de Deus, através da leitura e meditação cotidianas;
● espírito de oração para intensificar a sua comunhão com o Mestre;
● uma vida sacramental nutrida pela Eucaristia e pela Reconciliação;
● um adequado conhecimento da Palavra de Deus;
● um amor filial pela Igreja que o chamou;
● a capacidade de escutar e de dialogar.
 
*VICENTE FRISULLO. Discípulos catequistas. São Paulo: Paulinas, 2011, cap. IV. É presbítero da Ordem da Santíssima Trindade, missionário no Brasil desde 1979; professor de Teologia dos Sacramentos na Faculdade Paulo VI, em Mogi das Cruzes – SP; assessor de Catequese e pároco na Diocese de São Miguel Paulista, em São Paulo – SP.

sábado, 17 de novembro de 2012

Vamos rezar com o Evangelho deste domingo?



Hallel 2012 de Maringá – PR

Presença da pastoral vocacional e Livraria
 
Nos dias 10 e 11 de novembro, aconteceu em Maringá – PR, o Hallel 2012 cujo tema foi: “Por suas chagas somos curados” Is 53,5.
A Paulinas Livraria de Maringá – PR, fez-se presente no evento com um stand onde os visitantes de fora como também os da região, tiveram a oportunidade adquirir livros, Bíblias como também  CD´s, DVD´s de seus artistas preferidos.

Neste evento ainda a Irmãs Paulinas se feizaram presentes com um stand vocacional, falando do Carisma, dos fundadores, na missão para as (os), que se interessaram em conhecer um pouco mais sobre a vida e a missão das Irmãs Paulinas. As Irmãs Rosimeire e Viviani, estiveram à disposição para acolher e responder perguntas sobre a vida Religiosa Paulinas e sua missão na Igreja e sobre vocação neste dia a vocacionada Isabela Emerim Val de Maringá esteve presente ajudando nos stand´s.

Neste espaço havia um lugar especial para a Palavra de Deus, como também o mural do coração com o tema “Corações conectados”, neste espaço as pessoas foram convidas a fazer o coração e depois, escrever e deixar no mural o recado do seu coração. Neste espaço vocacional alegre, religiosos e descontraído, passaram-se muitos jovens, que o Senhor da messe desperte nesses corações o desejo de viver e comunicar Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida a todas as pessoas.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012


Noviças em Missão


“Ainda que eu falasse muitas línguas, as dos homens e dos anjos,
se eu não tivesse amor, eu nada seria...”

Gizely(noviça paulina)
 
Minha experiência de missão...
Eu sou Gizely Pinheiro (noviça paulina), natural do Maranhão. Há Três meses estou morando na comunidade de Canoas – RS, lugar em que Deus preparou para eu fazer minha experiência apostólica do noviciado. 
O que destaco deste tempo junto ao povo rio-grandense é principalmente o contato com esta cultura tão forte, marcada por conquistas e muita dor, gente muito alegre, que carrega no peito o sentido de ser e ter uma família. Desde que cheguei aqui já participei de semanas vocacionais, encontro de jovens, Livraria, feira do livro em Caxias do Sul.

 
Experiência significativa...
Poderia falar um pouco de cada experiência, mas quero compartilhar neste momento o principal de tudo, que foi o acolhimento das pessoas em cada cidade por onde passei, o bem que ficou em cada coração e a minha gratidão a Deus pela graça da vocação paulina.

Desafios...
Para mim o maior desafio é ter uma linguagem universal, a linguagem do amor, no qual possa me comunicar com todos a exemplo de Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida.

Uma mensagem...
...E digo a você jovem, que sente o desejo de fazer alguma coisa pelas pessoas, não tenha medo de responder ao chamado de Deus, porque vale a pena ser missionária de Jesus Cristo e dedicar a vida anunciando a Palavra de Deus com os meios de comunicação social.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Saiba + sobre o Concílio Vaticano II



Um bom livro gera vida!



De 03 a 06/11 Irmã Susana, colaboradores da livraria de Macapá e a noviça Aucilene, participaram da FLAP, primeira Feira do Livro do Amapá, realizada em Macapá. Nos quatro dias do evento professores, estudantes e muitas pessoas  que gostam de uma boa leitura aproveitaram a oportunidade para mergulhar no universo “mágico” do livro.

A boa leitura mexe com a imaginação de crianças, jovens e adultos, provocando uma mudança de mentalidade e gerando mais vida.  Isso era expresso na busca pelas boas obras literárias, na alegria e participação daquele povo na programação da feira.

Esta iniciativa incentivou a população a ler e proporcionou o fácil acesso a livros marcando assim a vida de muita gente, que teve a chance de ampliar seus conhecimentos e sonhar com uma educação de qualidade.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Profissão Perpétua de Ir. Marizete

 Aconteceu dos dias 24 a 28 de outubro a missão em preparação aos votos perpétuos de Ir.Marizete, em Campos Belos – GO.
A missão foi animada pelas irmãs Gervis e Daiane da Comunidade de Goiânia-GO. Durante o fim de semana, participaram de visitas a comunidades do interior e da celebração Eucarística, Ir. Flávia (comunidade de Goiânia), Ir. Lucila (comunidade do Rio de Janeiro) e Ir.Ivonete conselheira Provincial.
Foi realizada atividades nas escolas, com as pastorais, falando do sentido da vida e da importância do dom recebido por cada pessoa, a vocação.
 
No dia 28, ás 19h30, aconteceu a celebração Eucarística onde Ir.Marizete professou os votos perpétuos. A Celebração foi presidida por Dom José Moreira, bispo da diocese de Januária - MG, que viajou 12 horas para participar desse momento tão especial na vida da Ir.Marizete.
Agradeçamos a Deus pela graça da vocação Paulina, e que mais jovens possam ter coragem de dizer Sim a vocação

Retiro com catequizandos da Paróquia São Luiz Gonzaga

Neste domingo, dia 11/11 as irmãs paulinas, Maria Vanderlane e Maria José, estiveram ajudando no retiro dos catequizandos da Paróquia São Luiz Gonzaga. A paróquia localiza-se no parque Novo Santo Amaro-SP e tem como pároco, o  Pe. Maurício Ricardo Lourenço. A reflexão e vivência foram sobre o Credo, o Pai-nosso e os Mandamentos. As crianças puderam tirar as suas dúvidas e rezar juntas. Participaram do retiro 42 (quarenta e dois) catequizandos.
Além dos temas citados acima os catequizandos participaram da missa e também tiveram um momento de reflexão e vivência do sacramento da reconciliação com o Pe. Maurício. Este foi um dia de muito de alegria e vida, tanto para os catequizandos como para suas famílias, pois alguns foram acompanhados de seus pais.
Agradecemos a Deus por estas crianças, que se colocam no caminho do discipulado de Jesus Cristo, tendo-o como o seu Caminho, a sua Verdade e sua Vida.